Entendendo o Método Científico

Na maioria das vezes nós não nos damos conta, mas aplicamos ao menos parte do método científico no nosso dia-a-dia e também no nosso trabalho. Ele nos ajuda a resolver os problemas e a fornecer argumentações e informação justificada quando necessário. Mas o que é o método científico e por que é importante conhecê-lo?
O método científico é um conjunto de técnicas para a investigação dos fenômenos que nos cercam, para deles podermos gerar novos conhecimentos ou ajustar e corrigir o que já sabemos. É um esforço empírico com base em evidências mensuráveis. E embora as especificidades variem de área para área de conhecimento, pode-se identificar dois elementos comuns que conferem a sua forma geral. Esses elementos básicos são as hipóteses e os testes dessas hipóteses.

Uma hipótese é uma formulação provisória, com intenções de ser posteriormente demonstrada ou verificada, constituindo uma suposição admissível.

Ao observar um fenômeno, um cientista propõe uma ou mais hipóteses para explicá-lo. As hipóteses não surgem do nada, mas vêm daquilo que já se conhece sobre o fenômeno (ou fenômenos parecidos) e seguem também uma análise de plausibilidade. Com as hipóteses, o cientista então propõe testes para validá-las ou refutá-las. Os testes devem ser passíveis de repetição por outros cientistas, para verificação independente, e devem ser os mais objetivos e controlados possíveis para evitar tendenciosidade nos resultados. As hipóteses também geram previsões, por exemplo, se elas forem verdadeiras, então espera-se observar certos valores, comportamentos ou novos fatos sobre o fenômeno. Essas previsões, por sua vez, podem ser confirmadas com mais testes e observações, tornando a pesquisa ainda mais fundamentada.

Esse processo culmina quando fornece uma teoria. Na ciência, o significado da palavra teoria é diferente do seu uso geral. Coloquialmente, uma teoria é um “palpite” sobre a explicação de algo, mas sem necessidade de maiores confirmações. Cientificamente, uma teoria é muito mais, compondo-se de um corpo de conhecimento estabelecido e bem suportado pelas evidências disponíveis. Exemplos de teorias científicas conhecidas são a da evolução das espécies de Charles Darwin e a da relatividade de AlbertEinstein, que até hoje fornecem explicações verificáveis para uma vasta gama de fenômenos naturais mesmo frente aos mais novos testes a que são submetidas.

Claro, nem toda pesquisa termina com uma teoria totalmente nova, mas pode propor ajustes ao conhecimento existente, confirmar aspectos novos de uma teoria ou mesmo mostrar que conceitos importantes, à luz de novos dados, são na verdade incorretos (vide o caso do éter, o meio proposto para a propagação da luz, refutado no famoso experimento de Michelson-Morley em 1887).

Em nosso trabalho frequentemente nos deparamos com situações que pedem uma análise apurada para serem resolvidas e são nesses momentos em que nossas habilidades, como o pensamento crítico, são mais requisitadas. A elaboração de hipóteses e seus testes frente ao problema que se apresenta formam o cerne de nosso processo investigativo. Além disso, é possível traçar uma relação direta entre o que fazemos para resolver nossos desafios profissionais e os elementos do método científico. Portanto, conhecendo mais a fundo o método temos a oportunidade de melhorar os resultados de nosso trabalho. E isso é refletido em todos os fatores que deles derivam, como por exemplo a satisfação final do cliente. Um exemplo dessa aplicação talvez seja em times de suporte à produção, nos quais a análise e resolução rápidas e acertadas de um problema podem fazer a diferença entre o sucesso ou fracasso de um projeto.

O método científico tem a capacidade de melhorar nosso trabalho e suas lições têm grande abrangência e utilização imediata. Portanto vale a pena conhecê-lo e aplicá-lo.

Links úteis: